É sempre bom...

sábado, 17 de julho de 2010

Voltar pra casa.

Comidinha de mamis, assistir TV, dormir 4h da manhã, na sala, porque tava vendo série.

Não dá pra fazer isso em Curitiba.

Minha vida é muito limitada lá. Mal tenho tempo pra lavar meu cabelo [isso é grave] enquanto ainda está de dia. Aí eu lavo à noite e fico com frio. E ele não seca. Porque eu tenho cabelo suficiente pra 3 pessoas serem felizes, no mínimo. Um saco.

Enfim.

Sinto falta da faculdade e dos amigos. Muita. Aliás, acho que a grande maioria não lê o blog. Desnaturados. [hahahahahaha] Eles mal sabem que eu tenho um blog. Porque se tem uma coisa que eu não faço é dizer pras pessoas lerem o blog, embora eu queira que elas leiam. Mas que quero que leiam por vontade própria.
E tem várias coisas muito mais interessantes pra se ler na internet que o meu blog.

Ontem me deu vontade de ler o Atkins. Vê se pode. 
Quando eu TENHO que ler não dá coragem, mas agora que eu estou de férias, me surgir uma súbita saudade de orbitais moleculares e [pasmem] química descritiva. Mas eu não trouxe ele mesmo, então...

Falar em ler, eu preciso ler um livro que se chama Amor Líquido. Como há milhares e milhares de leitores do blog, muito provavelmente alguém vai poder me emprestar. 
Mas é sério, eu PRECISO ler esse livro, e não consigo achar pra fazer download. E não quero gastar my precious money com ele. Não não não.

Então muito obrigada, juízo, se cuidem, coloquem mais uma blusa e outra meia no pé.

Beijos : )

Passei direto em tudo! o/ hoho

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Legal né :)

Aí agora eu ia ler um texto de Didática, que é uma matéria anual, e não semestral como as matérias de bacharelado. E é muito chata, embora não devesse ser.
E vê se eu mereço:

"A teoria, zelosa por resguardar a história da intrusão dos produtos 'metafísicos' da consciência, produz uma história desprovida de consciência. Mas não será mais 'metafísica' ainda uma história, ao menos história humana, sem o concurso da consciência? Se a consciência for, ela própria, momento da história, a história sem consciência não será uma história abstrata, 'metafísica'? [essa até que faz sentido]
Pois, indaga-se, como irá mover-se a história (humana) se os sujeitos humanos, recomendados pelas teorias em voga, devem assumir uma atitude de 'benigna negligência' em relação à transcendência pra, com o espírito assim desimpedido de especulações metafísicas, dedicarem-se exclusivamente à administração do mundo tal como existe?"
Mário Duayer

Ah, vá! 

Poxa Duayer, vá ler O Pequeno Príncipe. É mais profundo e dá pra entender. Pronto, falei.
Eu nem sei o quê que é "voga". E não vou procurar no dicionário. Talvez. Enfim.

Tô com medo do resto do texto agora, que por sinal tem 20 páginas. Eu não mereço isso, mãe.

Beijo, queijo, caranguejo, percevejo (pra você mamis)

 E beijo (pra quem não é minha mãe)

:)